Chapinha japonesa | Cabelo e Maquiagem – Dicas e Tratamentos de Beleza.
Cabelo e Maquiagem RSS Cabelo e Maquiagem Twitter Cabelo e Maquiagem no Youtube Cabelo e Maquiagem no Facebook

Chapinha japonesa



Chapinha japonesa

Recondicionamento térmico, alisamento japonês, chapinha japonesa, retexturização ou escova definitiva são os diversos nomes da técnica de alisamento de cabelos que oferece às mulheres a chance de realizar o sonho de manter os cabelos lisos por mais tempo.

A técnica tem algumas restrições: não é indicada para cabelos muito crespos, cabelos descoloridos, com mechas claras, com permanente ou que passaram por relaxamento. Regra geral: os fios precisam estar pelo menos seis meses sem receber qualquer química.

Antes de tudo, é obrigatório realizar um teste prévio para determinar se o fio possui resistência para ser submetido à retexturização. Em seguida, os cabelos são lavados e hidratados. Com os fios ainda molhados, eles recebem por cerca de uma hora cremes à base de queratina e colágeno, que abrem as escamas de proteção dos fios e agem na estrutura capilar.

O passo seguinte é a aplicação de produtos químicos à base de trietanoliamina, um componente menos alcalino e menos agressivo à saúde dos fios. O processo mecânico é feito, então, com a aplicação de uma chapinha térmica especial, um equipamento que ajuda a redistribuir e realinhar uniformemente a queratina, produzindo o efeito do alisamento nos cabelos.

Para controlar o tempo de aplicação, o cabeleireiro faz um pequeno nó nos cabelos. Quando este nó começa a correr, o cabelo recebe a chapinha aquecida sobre os fios, em pequenas faixas. Terminado o tratamento térmico, os cabelos são enxaguados, neutralizados e hidratados com cremes adequados.

O alisamento japonês permanece de três a seis meses, prazo máximo para retocar a raiz. A aplicação pode durar de 3 a 12 horas, dependendo do volume e comprimento dos cabelos.
Por três dias os cabelos não podem ser lavados, presos ou modelados, pois podem ficar marcados ou se romper. Após esse período, volta-se ao salão para uma nova hidratação e, a partir daí, fica-se livre de escovas, secadores e outros processos de modelagem. O resultado é a aparência de um cabelo que acabou de ser escovado, com brilho e maciez, perdendo apenas um pouco do balanço natural

A técnica só deve ser aplicada por profissionais devidamente capacitados em cursos ou treinamento especializados. Deve-se, ainda, obedecer rigorosamente às recomendações do profissional sobre o uso de produtos específicos para a manutenção do processo.

Entre eles, os especialistas recomendam a utilização de shampoos com proteínas, condicionadores de reconstrução com silicone, cremes hidratantes com queratina, neutralizantes de produtos químicos, cremes para enxágüe e finalizadores.

Você pode comentar este artigo, ou divulgar este material no seu site.

Comente este artigo: